Os Vinhos

Divido os vinhos tranquilos – popularmente designados por vinhos de mesa – de acordo com a frequência de momentos de consumo que o seu preço, reflexo (relativamente proporcional) da qualidade e da quantidade produzida, permite. Todos os anos, durante os meses de Maio e Junho, provo, com a metodologia de prova cega, mais de 1500 vinhos que partilham entre si duas características: o seu preço de prateleira estar balizado entre 2 e 10 euros e se encontrarem em comercialização na moderna distribuição, prontos para entrar num carrinho de compras; a selecção das melhores classificações é editada em livro. Entretanto, durante o mês de Outubro provo, também em prova cega, cerca de 800 vinhos que a imensa maioria da produção nacional considera como as suas propostas de nível superior: os topos de gama. É também com base nos resultados (que serão publicados, durante o período de Natal, em formato electrónico neste meu site) que justifico as nomeações para os melhores vinhos e os melhores produtores de Vinhos de Calendário, ou seja, néctares que, devido à sua exclusividade e preço, merecem a escolha do consumidor de forma espaçada no calendário, muitas vezes como testemunhas de boas celebrações.

VINHO DE CALENDÁRIO

QUINTA DA LAPA, HOMENAGEM SANTA TERESA D’AVILA, RESERVA
DOC DoTejo, Tinto, 2013, 93 Pts.
Lote com Syrah. Cor intensa de granada. Terroso e mineral, pimentas entre as especiarias, ameixa e morango alicorados, notas doce de chocolate. Boa complexidade. Amplo, aveludado, sucroso, muito alongado e salivante. Personalidade prazerosa.
AGROVIA SOCIEDADE AGRO-PECUÁRIA

VINHO DIÁRIO

PÊRA DOCE
IGP Alentejano, Tinto, 2015, 86 Pts.
Lote com Aragonez. Cor intensa de granada, ainda carmim. Violeta, bergamota, ameixa, tostados finos e abaunilhados, nata. Elegante, muito longo e sucroso, vinho com preço muito baixo. Oportunidade. Prémio MELHOR DA REGIÃO do concurso UVA DE OURO 2016.
HERDADE DA CANDEEIRA – PARRAS VINHOS (Exclusivo Continente)

W-NOTÍCIA

 “Exatamente um ano após o “10 de julho”, os adeptos da Seleção Nacional ganham duas novas e originais formas de recordar a data mais simbólica do futebol português.

O significado indiscutível do dia 10 de julho – a data da final de Paris – foi aproveitado para criar um vinho com o mesmo nome, cujo processo de produção foi idealizado e acompanhado por um dos mais prestigiados enólogos do panorama nacional, Aníbal Coutinho. A conquista do Campeonato da Europa representa uma vitória de todos os portugueses e a dimensão coletiva desse triunfo foi expressa nesta iniciativa através de uma seleção cuidada com contributos de várias regiões vinhateiras nacionais, à base de castas que cá se destacaram e marcam a diferença e a tipicidade do nosso território. Para além de ter sido conservado na melhor garrafa do mercado, o vinho “10 de julho” está incluído numa embalagem especial, de linha premium, que inclui ainda uma réplica do troféu dos campeões europeus” […] Saiba mais aqui.

EM DESTAQUE:
No passado dia 3 de Abril no Porto Canal, durante o programa Imperdíveis, o Astronauta Touriga Nacional, Regional Lisboa 2015, foi classificado em prova cega pelos dois críticos, Madalena Vidigal do Blog Entre Vinhas e Gonçalo Correia dos Santos da Pipadouro Vintage Wine Travel, como o melhor vinho até 12 euros.
Porto Canal, programa Imperdíveis, dia 3 de Abril 2017

 

Sponsors

Apoios e Concursos